Coelho Dizeres Computador
[X] Fechar

Já conhece a NewsLetter do CoelhoDePrograma? Clique aqui e assine!

Só demora 30 segundos para se cadastrar e você recebe nossas notícias por email!

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Treine sua autoconfiança e corra melhor
Compartilhe no WhatsApp Enviar por email Compartilhe no Twitter

segunda-feira, 26 de março de 2018 - 08:35
eu possoFala, galera!

O artigo de hoje pra variar é sobre corrida. Aliás, nos tempos atuais, ando com bem pouco saco pra falar (pelo menos publicamente) sobre qualquer outro assunto...

Porém, não foi pra ler minhas lamúrias que você veio até aqui, então, voltemos ao assunto original... mrgreen

O texto fala sobre autoconfiança na corrida e traz dicas de um psicólogo sobre como melhorar a sua. Peço licença pra contar um exemplo pessoal para justificar a importância disso para atletas (mesmo os mais chinfrins com eu!):

Eu tinha um treino que consistia em correr 4km num ritmo um pouco mais forte do que aquele ao qual eu estava acostumado. Alguns chamam de tempo-run, outros de contra-relógio, eu chamo carinhosamente de Treino do Capiroto...

Meu treinador me informou que ia comigo. Até os 2 km, tudo (mais ou menos) bem. Eis que no km 2, ele se vira pra mim e diz: "Xi, esqueci uma outra aluna que tenho que atender, vou ter que voltar, mas você tá bem, vai acabando que eu já te encontro na chegada!" Imediatamente pensei: "Pô, sem o Júnior me orientando não vou dar conta". Uns minutos depois, as pernas pesaram e eu acabei o diacho do treino num ritmo muito inferior ao proposto.

Cheguei de volta e informei isso a ele, que falou: "Pô, mas você tava bem! Na próxima terça, vamos repetir o treino e dessa vez eu vou contigo, aconteça o que acontecer." Resultado? Acabei os mesmos 4 km inteiros exatamente dento do ritmo proposto!

Melhorei de uma semana pra outra? Pelo menos fisicamente, acho pouco provável. Por isso, acho que a confiança que ele me transmitiu ao longo do treino é que fez a diferença! Ao final, satisfeito, mas sério, ele se virou pra mim e falou: "Tá vendo como mesmo na terça passada você daria conta? Isso significa que você precisa treinar a cabeça, além do corpo."

Nunca mais me esqueci do ensinamento, tanto que o usei na minha primeira maratona, pensando a cada quilômetro: "Beleza, só faltam X km". Deu certo! mrgreen

Bom, então vamos à tradução do artigo, mais uma vez do excelente site Competitor.com:
O novo filme de Amy Schumer, I Feel Pretty, é uma história sobre uma mulher que acredita ser pouco atraente - e então, depois de uma queda épica de uma bicicleta de spinning, ela de repente vê alguém com uma beleza de supermodelo olhando para ela no espelho, embora absolutamente nada tenha mudado. Grandes coisas começam a acontecer para o personagem de Schumer baseado apenas em sua crença de que ela é linda - e, portanto, tem mais confiança.

Este cenário levanta as seguintes questões: Como meus treinos e provas mudariam se eu tivesse mais confiança e como eu ganho mais?

A maioria dos psicólogos esportivos e inúmeros estudos lhe dirão que quando se trata de treinos e provas, o que você diz a si mesmo é importante. Corredores sabem agora que trabalhar sua atitude mental é uma obrigação e ter mantras confiantes prontos pode evitar a quebra numa prova.

Pratique falar consigo mesmo

"Mulheres não são diferentes dos homens quando se trata de falar consigo mesmas", disse o Dr. Jeffrey Brown, um defensor da psicologia comportamental cognitiva em Harvard, psicólogo para a Maratona de Boston e autor de The Runner's Brain. Ao descrever como o cérebro responde à fala confiante consigo mesmo, o Dr. Brown destrinchou a linguagem do cérebro assim:

"O sistema de ativação reticular [um conjunto de vias nervosas que conectam o cérebro a outras partes do corpo] recebe as informações que fornecemos e as utiliza para ajudar a criar um senso de identidade. Isso inclui informações e mensagens negativas, [assim] certifique-se de que há um excesso de declarações positivas e precisas sobre você e suas habilidades para realizar com confiança em corridas." explicou Brown.

A última parte do conselho do Dr. Brown pode ser o mais importante. Ter um "saldo de declarações positivas e precisas" deve ser uma parte tão importante do seu treino quanto as sessões de velocidade na pista. A precisão das declarações pode ser obtida diretamente do seu treino, anotando conquistas em elementos tangíveis como ritmo, velocidade e distância, além de intangíveis como atitude, firmeza e perseverança.

Encoraje a autoconfiança

Você deve acreditar no que está dizendo a si mesmo para que a fala positiva consigo mesmo ajude. "Acreditar em suas próprias habilidades tem tudo a ver com confiança. Isso não é diferente quando se trata de novos corredores. Mesmo sem ter corrido muito antes, você ainda pode entender que enquanto a confiança não for forte, estará se sentindo como alguém tentando algo novo.", disse Brown.

Você também pode ter essa sensação de novidade em diferentes distâncias de corrida. A parte importante, de acordo com o Dr. Brown, é que "você está plantando sementes de confiança que precisarão ser nutridas e eventualmente colhidas no caminho". Isso traz um significado totalmente novo para a frase: "Você colhe o que semeia!"

Não seja super confiante

Existe isso de ser tão confiante?

A maioria das mulheres provavelmente concorda que os homens não têm as mesmas dificuldades que nós quando se trata de se gabar ou de parecerem excessivamente confiantes, mas o Dr. Brown implora para divergir. "Não tenho certeza se concordo que os homens tenham mais liberdade para se gabar. Eu ficaria curioso se houvesse uma fonte real dessa pesquisa. Considere quem está se gabando para quem? A maioria preocupar-se-ia menos em parecer confiante demais se simplesmente falasse objetivamente sobre suas habilidades, habilidades e desempenhos".

Pratique a auto visualização

Se você assistiu a qualquer um dos eventos de esqui alpino ou snowboard de halfpipe nas Olimpíadas, provavelmente viu muitos atletas passando por visualizações animadas de suas corridas, momentos antes de atingir a inclinação. Por quê? Porque funciona!

"Se alguém acredita que pode atingir uma meta, a visualização pode ajudá-los a realizar uma meta ou uma etapa específica que precisa ser ultrapassada em direção a uma meta. Usar todos os sentidos em tempo real é a chave para uma visualização bem-sucedida. Ao ver que um objetivo é atingível, mesmo na visualização, um corredor pode entender melhor suas habilidades para realizar um objetivo e se esse objetivo está ao alcance", explicou Brown.

Talvez a melhor maneira de resumir a confiança nas corridas seja: O que a mente pode conceber e acreditar, pode alcançar!
E aí, gostaram? Espero que sim! Beijos e abraços a todos e até a próxima! mrgreen

Fonte: Competitor.com (adaptado por Coelho de Programa)

Leia mais sobre: autoconfiança, corrida

Assine a NewsLetter do CoelhoDePrograma e não perca mais nenhum artigo!

Gostou da matéria? Comente logo abaixo! mrgreen

Copyright - Marcelo Coelho