Coelho Dizeres Computador
[X] Fechar

Já conhece a NewsLetter do CoelhoDePrograma? Clique aqui e assine!

Só demora 30 segundos para se cadastrar e você recebe nossas notícias por email!

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Trabalhemos a cabeça na volta de lesão!
Enviar por email Compartilhe no Twitter

quinta-feira, 9 de novembro de 2017 - 10:05
injuried runnerFala, galera!

Independente se seu objetivo na corrida é correr uma maratona abaixo das 3 horas ou correr até os 100 anos, como o Fauja Singh, um medo é comum: a miséria da lesão, que nos impede de tomar nosso remedinho diário contra problemas do corpo e da alma.

Entretanto, a imensa maioria dos corredores passa por uma lesão.

Este artigo, do excelente site WomensRunning, apesar de não trazer nenhuma dica especial sobre o tema, joga nele um pouco de luz. Vamos dar uma lidinha? mrgreen
Há uma noção peculiar entre os não corredores de que achamos nosso esporte completamente agradável. Não me interpretem mal: sou apaixonada por correr. Eu não faria isso se não fosse. No entanto, correr pode ser completamente doloroso. Há treinos em dias chuvosos, alarmes matinais e nervos à flor da pele antes da corrida. Sim, correr é divertido, mas a alegria que traz não vem sem alguma dificuldade.

Por isso, irrita-me ouvir alguém dizer: "Bem, eu tentei correr, mas doeu demais!"

"Ótimo", geralmente respondo (na minha cabeça, porque não sou corajosa o suficiente para ser aquele sarcástica em voz alta). "Você tentou mais de uma vez?"

O fato é que tudo é difícil quando você não fez antes ou se você não o fez com consistência. A corrida não é diferente. Não importa se você teve um mês ocupado ou se seu quadril estava dolorido. Confie em mim, eu sei.

Eu tive lesões suficientes para perceber - e ser golpeada na cara com - essa verdade. Retornar de uma lesão pode ser brutal, particularmente para sua mente. Embora seja bastante fácil aumentar a quilometragem e incorporar exercícios para voltar à forma, recuperar a força mental é muito mais difícil.

Então, o que você faz? Primeiro, você corre. Não há remédio contra a fraqueza mental como treinamento consistente, especialmente após uma lesão. Suas pernas e sua mente precisam se movimentar novamente. Simplificando, você deve aprender a sentir dor novamente. Dependendo do tamanho de sua reabilitação, você terá que reaprender a dor de correr forte e a satisfação que isso inspira.

Eu entendo o quanto isso pode ser difícil. Quando voltei de uma fratura de estresse há dois anos, era uma agonia mental. A cada quilômetro que eu corria, minha dúvida gritava: "Você não pode fazer isso! Você nunca mais será resistente novamente. Isso está horrível". Ouvir essas mentiras resultou em treinos ruins e azedume generalizado. No entanto, quando escolhi me concentrar no ganho final, achei mais fácil me aprofundar e reafirmar minha força mental.

Durante uma corrida, seus músculos estão em chamas com a fadiga quando você vê a linha de chegada. Assim que você a vê, algo geralmente acelera seu coração. Esse final é aquele para o qual você trabalhou. É a razão pela qual você ignorou o cansaço. Então, você levanta seus pés e fixa seu olhar à frente. Você se lembra de seus objetivos e deixa que eles os impulsionem até essa linha da vitória.

Pode-se dizer a mesma coisa do retorno de uma lesão. Eu entendo: o trabalho árduo de recuperar a aptidão - especialmente a luta mental - é desencorajador. Mas se você se lembrar de quão capaz você é, se você se concentrar no objetivo final da resistência mental, você chegará lá.

Consistência e uma perspectiva de longo prazo: isso é o que é preciso para reconstruir sua força mental. Você terá que se jogar nos treinos, terá que enfrentar seu medo de não ser tão bom como você era antes da lesão. Mas quando você fizer essas coisas, a recompensa será incrível. Vai valer a pena.
Gostou do artigo? Assine nossa NewsLetter e não perca mais nenhum!
Fonte: Competitor.com (adaptado por Coelho de Programa)
Palavras-chave: corrida, lesão

Copyright - Marcelo Coelho