Coelho Dizeres Computador
[X] Fechar

Já conhece a NewsLetter do CoelhoDePrograma? Clique aqui e assine!

Só demora 30 segundos para se cadastrar e você recebe nossas notícias por email!

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Os corredores devem tentar alterar sua passada?
Compartilhe no WhatsApp Enviar por email Compartilhe no Twitter

quinta-feira, 28 de setembro de 2017 - 12:11
passadaFala, galera!

Li uma matéria que mostra que o Kipchoge, queniano que venceu recentemente a Maratona de Berlim faz impressionantes 118 milhas (aproximadamente 190 km!), a 5 semanas da prova, e 113 (aproximadamente 180km!) a apenas uma semana da prova!

Pois bem, ler a matéria me despertou um questionamento: Quase todo mundo que pratica a corrida está tentando melhorar seus tempos sem e lesionar: tênis, alimentação, suplementos, runfit, cross-training... a lista é imensa.

Entretanto, o que será que há de válido nessa infinidade de coisas que nos vendem como quase milagrosas? Será que o que faz efeito de verdade na performance do corredor é apenas... correr?

Obviamente não sou eu, analista de sistemas (dos bons, modéstia à parte) e corredor (dos mais chinfrins, essa é a verdade mrgreen) quem vai dar essa resposta. Meu objetivo é pensar e botar meus leitores pra pensar sobre até onde as coisas que nos são vendidas são válidas ou apenas pra nos vender...

Mais ou menos nessa "toada" é a matéria que traduzo hoje pra vocês, do site WomensRunning. O foco é a passada. Já traduzi uma outra matéria que trata do mesmo assunto. Entretanto, a dúvida persiste: Até que ponto vale a pena tentarmos mudar nossa passada? Será que nosso corpo não sabe o jeito natural de correr?

Obviamente estamos falando de corredores amadores, e não um Bolt, pra quem centésimos de segundo de diferença significam a glória ou a derrota... Mas enfim, vamos dar uma lidinha?
Há muitos anos, quando o treinamento funcional acabava de se tornar uma "coisa", assisti a uma conferência para personal trainers e lembro claramente uma das melhores analogias sobre a necessidade de se alongar ou não antes de uma corrida. Juan Carlos Santana (sim, esse é o seu verdadeiro nome), um personal trainer muito distinto, bem-sucedido e experiente, disse:

"Se você olhar de repente e seu filho está prestes a entrar em uma rua movimentada você alonga seu quadríceps primeiro ou simplesmente dá um sprint?"

Todos sabemos a resposta. Claro que é aconselhável um aquecimento de algum tipo, mas os humanos são capazes de correr a qualquer momento. Isso é natural. Mas e quanto à nossa passada?

Após a publicação do o artigo do New York Times sobre o passo irregular de Usain Bolt (alguns dias antes do seu decepcionante fim de carreira e lesão neste verão em Londres), um fluxo de descobertas foi reunido sobre o quão importante é a passada e se você realmente precisa trabalhar para mudá-lo se você não for Usain Bolt. Dica: você provavelmente não precisa!

Os seres humanos nasceram literalmente para correr; então, por que muitos de nós passamos o tempo tentando ajustar nosso passo natural? Uma equipe de cientistas da Universidade Brigham Young, em Provo, Utah, tentou descobrir examinando atentamente as passadas de corredores experientes e inexperientes e vendo o que aconteceria se eles tentassem mudar a passada.

"Os corredores inexperientes e experientes são igualmente capazes de ajustar o comprimento da passada para o comprimento econômico, de modo que os treinadores não precisam alterar o comprimento do passo do corredor quando a economia é a principal preocupação", concluíram os pesquisadores.

Basicamente, se você não está tentando ganhar segundos em um tempo de corrida na sua carreira de corredor profissional, você provavelmente pode ficar com qualquer passo que vem naturalmente e esperar pelo melhor. Iain Hunter, professor de ciência do exercício na BYU que supervisionou o estudo e também é cientista da equipe de atletismo dos EUA, reiterou: "Nossos corpos sabem o que estão fazendo."

Nós provavelmente podemos confiar em nosso passo natural para nos levar do ponto A ao ponto B, não importa quantos quilômetros estejam no meio.
Assunto esgotado? Como eu disse antes: Não creio. Meu objetivo, além de botar você pra pensar, era fazê-lo trazendo um outro ponto de vista, ok?

Abraços, beijos e até a próxima! mrgreen

Fonte: Competitor.com (adaptado por Coelho de Programa)

Leia mais sobre: corrida, passada

Assine a NewsLetter do CoelhoDePrograma e não perca mais nenhum artigo!

Gostou da matéria? Comente logo abaixo! mrgreen

Copyright - Marcelo Coelho