Parceiros
[X] Fechar

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Quer melhorar sua passada? Melhore seu corpo.
Compartilhe! Telegram Whats Email Mapa de imagens. Clique em cada uma das imagens

segunda-feira, 20 de maio de 2019 - 07:47
runner strideQuando as pessoas falam sobre a forma de corrida, muitas vezes se concentram em coisas como batida dos pés no chão, ângulo das pernas e postura. Elas falam sobre dicas e práticas de novos padrões, como se a passada fosse uma habilidade funcional a ser aprendida, como caligrafia ou tocar um instrumento.

A verdade é que uma passada efetiva não pode ser obtida simplesmente pensando nisso. Para correr com suavidade, com eficiência e sem lesões, você precisa desenvolver a habilidade de seu corpo. Você tem que treinar correr bem, assim como precisa treinar correr mais rápido. Aqui está o porquê:

Verdade #1:

Seu sistema neuromuscular instintivamente encontra a maneira mais eficiente de mover seu corpo único e específico. Seu corpo sabe como corre melhor. Estudos mostram que qualquer tentativa de alterar esse "caminho de movimento preferido" reduz a economia de corrida. Até mesmo pensar em sua passada faz com que você corra menos eficientemente.

Verdade #2:

Embora sua mente e corpo encontrem seu caminho preferido e mais eficiente, esse caminho é construído com base no que seu corpo é capaz de fazer hoje. E você não é quem está destinado a ser ou quem foi. Depois de anos de estilo de vida que, na maioria das vezes, não são propícios para manter a flexibilidade, postura, equilíbrio e os pontos fortes que permitem os melhores padrões de movimento para nossos corpos, estamos todos comprometidos. E assim estão nossas passadas.

Combinadas, essas verdades significam que tentar mudar sua forma de correr pensando nisso quase sempre terminará com uma passada menos eficiente, se não em um desastre tremendamente perigoso. Muito provavelmente você não conseguirá criar nenhuma alteração que dure mais do que alguns passos focados.

Tire a passada e a aterrissagem muito à frente do seu corpo, que resultam em frenagem, batida do pé no chão e todos os tipos de estresse dos pés e pernas. Quem olha para a passada concorda que esse padrão é prejudicial e sugere maneiras de reduzi-lo.

No entanto, não aumentamos a passada em excesso simplesmente porque usamos tênis excessivamente pesados e aprendemos maus hábitos de aterrissagem dos pés. Depois de anos de sedentarismo, nossos flexores do quadril estão encurtados e excessivamente rígidos e nossos glúteos, que deveriam estar empurrando as pernas para trás com potência, estão fracos e dormindo. Muitos de nós somos incapazes de estender nossas pernas para trás, e sem essa capacidade, fazemos a única coisa que podemos: estendê-las para a frente e puxar.

Nenhuma quantidade de sugestões ou pensamentos pode corrigir isso. Tentar pousar em seu ante pé ou aumentar sua taxa de passos com quadris comprometidos resulta em uma passada ineficaz e empinada que ainda fica à frente de seu corpo. Mesmo que tenhamos flexibilidade suficiente para forçar um novo padrão, nos falta a resistência postural e os hábitos neuromusculares para mantê-lo ao longo da corrida.

A única maneira de reduzir o tamanho excessivo da passada é melhorar a mecânica dos quadris. Você precisa alongar e aumentar os flexores do quadril. Você precisa recrutar e fortalecer seus glúteos. Você precisa usar o rolo de espuma e fazer outros tipos de massagem para eliminar as restrições e permitir a mobilidade total. Você precisa fazer educativos para praticar sua amplitude completa e efetiva de movimento e dar ao seu sistema neuromuscular a chance de sentir suas novas forças e criar novos padrões.

O que você não precisa é gastar muita energia mental tentando treinar sua marcha. "Não há muito ensino pedagógico passo-a-passo", disse Bobby Mcgee, treinador de elite de Boulder, sobre melhorar a forma de correr. "Você foca na amplitude de movimento, nos déficits de força, faz educativos para fornecer o equilíbrio, o ritmo e a habilidade, e então eles se movem organicamente para a forma de correr de que eram capazes quando não tinham restrições do ambiente".

Não é uma solução rápida nem uma sugestão mágica que irão transformá-lo em uma sessão. Leva tempo. É preciso trabalho. Mas é o único caminho. E vale a pena. Você estará apto a correr mais suave, mais fácil e mais longe do que você imagina agora.

Para saber mais sobre como sua mente e corpo criam sua passada única, e detalhes sobre o que pode fazer para melhorá-la, confira o livro de Jonathan Beverly, Your Best Stride.
Traduzido do site PodiumRunner.com

Fonte: PodiumRunner.com

Leia mais sobre: passada

Copyright - Marcelo Coelho