Parceiros
[X] Fechar

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Como o exercício beneficia sua saúde mental
Compartilhe! Telegram Whats Email Mapa de imagens. Clique em cada uma das imagens

segunda-feira, 11 de outubro de 2021 - 18:19
runner brainO exercício vai ajudá-lo a construir músculos, melhorar a saúde cardiovascular e, inevitavelmente, afetar seu físico em geral, mas você sabia que se exercitar é tão bom para o cérebro quanto para o resto do corpo? Praticar exercícios regularmente traz benefícios psicológicos significativos e é fundamental para apoiar o seu bem-estar geral.

Como o exercício afeta a saúde mental?

Vivemos tempos de ansiedade. Incêndios, inundações, secas, pandemias... é o suficiente para mantê-lo acordado à noite e fazer sua cabeça rodar. Você sabia que o exercício é uma estratégia eficaz para o alívio natural da ansiedade? Você pode se exercitar para reduzir o estresse, dormir melhor e melhorar a função cognitiva. Descubra como abaixo.

1. Alívio natural da ansiedade

Depressão e ansiedade são provavelmente as formas de doença mental mais amplamente reconhecidas e afetam muitas pessoas. Para aqueles que não sabem o que realmente é a depressão, provavelmente é mais fácil começar com o que não é. Não é apenas um simples caso de "sentir-se triste". é uma doença debilitante que pode ter desdobramentos significativos na vida das pessoas afetadas por ela. Acontece que a saúde mental e os exercícios estão intimamente ligados. A ciência nos diz que existem quatro produtos químicos que podem impactar sua felicidade: serotonina, endorfinas, dopamina e oxitocina. Qualquer desequilíbrio pode ter resultados dramáticos. Portanto, para enfrentar os desafios de saúde mental, como depressão e ansiedade, você precisa trabalhar para lidar com esse desequilíbrio. O desequilíbrio pode ser corrigido com produtos farmacêuticos, mas o simples ato de se exercitar também pode ajudar na liberação de endorfinas. Esta é a mudança química em seu cérebro que aumentará sua sensação de bem-estar e pode ser acionada com apenas 15 minutos de exercício.

Para manter um equilíbrio saudável, você precisará encontrar algo que funcione para você, seja correr, dar um passeio de 30 minutos pelo parque local ou andar de bicicleta.

Aviso: A depressão é uma doença grave. O exercício ou a mudança na dieta não podem substituir o tratamento médico profissional. Consulte seu médico se perceber que está apresentando sintomas típicos de depressão.

2. Exercícios para reduzir o estresse

O estresse é a reação do seu corpo a uma situação ameaçadora, explica a Dra. Erica Jackson Ph. D em seu artigo "Alívio do estresse: O papel do exercício no gerenciamento do estresse". Com o tempo, seu corpo aprende como lidar com o estresse de certas maneiras. Se você se acostumou a mecanismos de enfrentamento não tão saudáveis, como perder o sono, comer muito açúcar, etc., os exercícios podem ajudá-lo a retreinar como seu corpo a como reagir ao estresse.

A Dra. Jackson continua explicando que "pesquisas em humanos e animais indicam que ser fisicamente ativo melhora a maneira como o corpo lida com o estresse por causa das mudanças nas respostas hormonais e que o exercício afeta neurotransmissores no cérebro, como dopamina e serotonina, que afetam o humor e os comportamentos". Simplificando, à medida que seu corpo aprende a lidar com o estresse que suporta enquanto se exercita, ele pode reaplicar o que aprendeu em futuras situações estressantes.

De acordo com a American Psychological Association, 62% dos adultos que praticam exercícios ou caminham para controlar o estresse consideram-no muito ou extremamente eficaz.

Quanto você deve se exercitar para reduzir o estresse?

A Dra. Jackson recomenda "150 minutos de exercício aeróbio de intensidade moderada por semana ou 75 minutos de exercício aeróbio de intensidade vigorosa por semana". Isto pode ser ajustado de acordo com suas necessidades. Ela continua afirmando que "dividir o exercício em duas sessões de 10 a 15 minutos, uma antes do trabalho e outra na hora do almoço, quando possível, pode ajudar a combater o estresse ao longo do dia."

3. Exercícios e sono

Você costuma ter dificuldade de adormecer ou em permanecer dormindo? O exercício é um dos remédios mais naturais para o sono. Dra. Charlene Gamaldo, MD, diretora médica do Johns Hopkins Center for Sleep do Howard County General Hospital, diz: "Temos evidências sólidas de que os exercícios, de fato, ajudam você a adormecer mais rapidamente e melhoram a qualidade do sono".

O exercício ajuda a melhorar o sono de ondas lentas ou o sono que ajuda o cérebro a recuperar e construir memórias das atividades do dia.

Programe seus treinos para o seu corpo

Nem todo mundo precisa acordar de madrugada para fazer um treino. Se você se sentir mais confortável treinando à tarde, tudo bem. Basta prestar atenção ao ritmo do seu corpo e dar a si mesmo tempo suficiente para relaxar antes de dormir.

4. Exercícios e função cognitiva

à medida que envelhecemos, nossos corpos e mentes mudam e começam a se deteriorar, pelo simples fato de envelhecer. No entanto, há muitas coisas que podemos fazer para ajudar a proteger a função cognitiva e manter nosso cérebro saudável até a velhice. Além de manter uma dieta saudável, bons hábitos de sono e evitar substâncias como o tabaco e o álcool, os exercícios desempenham um papel fundamental em manter nossos cérebros jovens. O interessante é pensar sobre como diferentes tipos de atividade física afetam nossa função cognitiva.

Um estudo publicado na BMC Geriatrics sobre exercício e função cognitiva em adultos mais velhos distingue exercícios com habilidades abertas de exercícios com habilidades fechadas. Tênis, basquete ou esgrima seriam categorizados como habilidades abertas, já que o participante deve se adaptar constantemente a situações imprevisíveis. Exercícios fechados seriam natação, corrida ou ioga, por exemplo, onde o ambiente e o exercício são controlados e autodirigidos.

Não é de surpreender: sejam abertos ou fechados, os participantes do grupo que se exercitou mostraram desempenho superior aos do grupo sem exercícios. Aqueles no grupo de habilidade fechada mostraram "melhor atenção seletiva e função visuoespacial, enquanto a atividade física de habilidade aberta foi associada a maior flexibilidade cognitiva".

A conclusão lógica seria que tipos diferentes de atividade física trariam os maiores benefícios. Misture tudo, tente algo novo e desafie-se com o desconhecido.

5. Exercício para aumentar os níveis de energia

Quando você está cansado, no final de um longo dia, fazer força em um treino pode parecer um desafio intransponível. No entanto, exercitar-se pode e irá ajudá-lo a aumentar seus níveis gerais de energia. Com o tempo, você se sentirá menos exausto e com mais energia durante todo o dia.

A pesquisa indica que os períodos curtos e intensos de atividade física têm um impacto significativo no humor e nos níveis de energia. Qualquer exercício regular é, obviamente, melhor para sua saúde geral do que um estilo de vida sedentário. No entanto, um estudo publicado no Journal of Behavioral Nutrition and Physical Activity comparou os resultados de adultos caminhando 30 minutos pela manhã em intensidade moderada vs. 5 minutos de caminhada de intensidade moderada a cada hora. Não só o grupo de períodos curtos e intensos mostrou melhores resultados para sua energia e humor, como também relatou menos desejos por comida no final do dia.

Sobre nutrição e saúde mental

O exercício pode certamente ajudar a melhorar ou manter a saúde mental, mas há mais alguma coisa que você possa fazer? Pesquisas recentes sugerem que manter uma dieta saudável pode ter um impacto significativo sobre seu bem-estar mental. A conexão entre nutrição e saúde mental não pode mais ser ignorada.

"Há fortes evidências epidemiológicas de que uma dieta pobre está associada à depressão. O inverso também foi mostrado, ou seja, ter uma dieta saudável, rica em frutas, vegetais, peixe e carne magra, está associada a um risco reduzido de depressão."

Obviamente, a dieta é a chave para um bom desempenho no esporte de sua escolha, portanto, o benefício é duplo. Com uma dieta balanceada, você não apenas promove uma mente mais saudável, mas também se dá o combustível para continuar suas sessões de esporte terapêutico.

Conclusão

Existem vários fatores que contribuem para o seu bem-estar emocional geral, mas não há como negar a ligação entre exercícios e saúde mental. Faça o que for melhor para você. Quer se trate de agendar 30 minutos no dia ou 5 minutos de atividade moderada a cada hora), comece a colher os benefícios do exercício físico para a saúde mental.
Traduzido do site Runtastic.com

Fonte: Runtastic.com

Leia mais sobre: mental

Copyright - Marcelo Coelho