Coelho Dizeres Computador
[X] Fechar

Já conhece a NewsLetter do CoelhoDePrograma? Clique aqui e assine!

Só demora 30 segundos para se cadastrar e você recebe nossas notícias por email!

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Devo procurar uma nutricionista do esporte?
Enviar por email Compartilhe no Twitter

segunda-feira, 11 de junho de 2018 - 10:37
Nathalia Fiori e Marcia PossariFala, galera da corrida! O assunto hoje é corrida. Isso não é novidade. A novidade (mais ou menos) é que é polêmico. Não, não são os mamilos masculinos na maratona, mas nutrição! mrgreen

Todo mundo sabe que comer bem melhora a performance na corrida. A polêmica está em quem deve cuidar da sua nutrição?

Meu pitaco: Eu sou analista de sistemas. Se você me disser que quer um sistema ou um site, eu serei capaz de fazer pra você, porque estudei pra isso. Se você me disser que quer saber como comer direito, eu não saberei dizer. Por isso, apesar de estar meio rebelde nos últimos tempos, continuo achando que isso é tarefa pra um nutricionista. Se for esportivo, eu acho melhor ainda, porque entenderá mais facilmente as suas necessidades.

E eis que em uma conversa de WhatsApp, minha amiga Marcinha me manda um texto com basicamente a mesma filosofia!

Pois é, então partiu parar de enrolar meu leitor e mostrar logo o texto! mrgreen
Vou aqui lhes contar um pouquinho da minha história com nutricionista que vem lá da adolescência (sim!).

Sempre tive algumas taxas de exames de sangue que mereciam atenção. Por isso, monitorava-as semestralmente. Comia de tudo que pudesse melhorar esse quadro e melhorá-las: fígado, beterraba, feijão cozido em panela de ferro, feijão cozido com prego (por causa do ferro), todas as plantas verdes escuras, qualquer receita da vovó eu fazia.rs..., mas era repetir o exame e as taxas continuavam beirando o mínimo. Por um longo tempo também fiz reposição de ferro e a taxa continuava lá embaixo. Até que no milésimo nutricionista e ginecologista e zilhões de exames depois, em conjunto, concluíram que era hereditário, logo, controle "ad eternum" baby!

Mas a verdade é uma só: sempre gostei de comer bem e a conta uma hora ficou pesada na balança, mas nunca me incomodei com a imagem que via no espelho. O "Bicho pegou" mesmo, depois de 2 anos na corrida e então meus queridos joelhos começaram a "abrir o bico". Sim, honey, sobrepeso sempre dá ruim a certo ponto e que se eu quisesse correr mais rápido teria que cuidar do joelho e claro: do peso! Oh céus! Aí eu já sabia que não era simplesmente diminuir a comida, no meu caso, isso teria que ter acompanhamento.

Visitei de tudo: nutrólogo que pediu exames da minha vida toda e no final não passou dieta, nutricionista que era do esporte mas não sabia o que me passar no pré-treino, nutricionista que mandou a pirâmide de alimentação e um "se vira", nutricionista que passou mais suplemento que comida de verdade, outros que passaram umas fórmulas que vinham numa receita controlada (aff), nutricionista que disse que mesmo com volume de corrida que eu fazia "um café com óleo de coco" tinha que dar conta do recado. Bizarro. Eu sei!

Mas na jornada a gente vai lendo, se inteirando do assunto, entendendo o corpo e o tipo de profissional que quer ao lado.

Não preciso dizer muito que nenhum desses profissionais ai de cima me passaram confiança e apenas "rasguei" dinheiro com as consultas, mas seguimos o jogo, seguimos em busca! Fui caminhando ou melhor, correndo do meu jeito, em alguns treinos faltavam energia, em outros eu quase "gorfava" de tanto que comia.

Quando decidi fazer maratona procurei um NUTRICIONISTA DO ESPORTE e vou te contar que vale muito a pena, fica o adendo: procure um nutricionista do esporte, mas do esporte QUE VOCÊ PRATICA, isso faz total diferença, uma vez que cada esporte tem um "ritual" diferente.

Quando da primeira consulta com a Nathalia Fiori (minha atual nutri) em que falávamos de corrida e respondi que estava no período de base e ela automaticamente sabia do que se tratava, ah People: deu match!

Ela me acompanhou no ciclo para a maratona de Boston. Nesse período trabalhei insanamente, treinei insanamente e mesmo assim ela conseguiu equilibrar tudo isso pra mim em alimentação.

Em nenhum treino faltou energia (sobrou só mimimi), não me sentia fadigada, dormi com mais qualidade e adivinhem: meus exames de sangue continuaram lindos!

Alimentação é de fato muitoooo importante na jornada de uma maratona. Eu tinha alimentação diferente pra dias off, para dias de treinos mega-longos, para dias de treino easy, e tudo cheio de comida de verdade! Consegui reduzir meu peso e ainda ganhar massa magra: até parece milagre né? Mas não é!

Além da nutricionista do esporte também faço acompanhamento com médico ortopedista do esporte (Dr. Paulo Puccinelli). Lembro que na primeira consulta ele se assombrou com as taxas que descrevi ali acima, logo desconfiou que eu pudesse ter outros problemas e pediu para eu suspender o uso do meu contraceptivo (na época eu usava anticoncepcional de uso continuo, logo: não menstruava), mas era só uma suspeita, porque suspendemos o uso por alguns meses e tudo fluiu certinho por aqui. ***Para as meninas de plantão e de alta performance:*** atentem-se ao seu período menstrual! Isso pode sinalizar bilhões de outros problemas de saúde e que também por vezes estão relacionados a alimentação, mas podemos deixar isso pra outro post.

Voltando ao assunto... rs

Ainda continuo a louca da maratona e da performance e enquanto a idade permite, graças a Deus, quero continuar fazendo essas provas. Logo galera, seguirei com nutricionista. É fato, que com o tempo a gente já aprende de alimentação, mas não tenho formação e especialização nisso e tenho um quadro de saúde que NECESSITA do acompanhamento enquanto quero maratonar e performar, então se é um conselho que vocês querem ouvir: Vale muito a pena ter "o seu" nutricionista do esporte.

Abraços,
Márcia
É isso aí, galera, abraços e beijos a todos e até a próxima! mrgreen

Fonte: Coelho de Programa

Leia mais sobre: nutricionista, corrida, nutrição

Assine a NewsLetter do CoelhoDePrograma e não perca mais nenhum artigo!

Gostou da matéria? Comente logo abaixo! mrgreen

Copyright - Marcelo Coelho