Parceiros
[X] Fechar

Já conhece a NewsLetter do CoelhoDePrograma? Clique aqui e assine!

Só demora 30 segundos para se cadastrar e você recebe nossas notícias por email!

[X] Fechar

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Coronavirus: Como ajudar seu sistema imunológico
Whats Email Mapa de imagens. Clique em cada uma das imagens

segunda-feira, 30 de maro de 2020 - 16:46
running in the snowÀ medida em que o novo coronavirus se espalha pelo mundo, também aparecem muitas informações erradas sobre como as pessoas podem se proteger. Previsivelmente, a pandemia impulsionou marcas e influenciadores que vendem suplementos nutricionais e outros produtos que eles alegam que podem dar ao sistema imunológico um "incremento" rápido e fácil e afastar o coronavirus e sua doença resultante, COVID-19.

Esse marketing muitas vezes irrita os imunologistas, que enfatizam que não é realmente possível estimular sistemas imunológicos saudáveis, explica Sheena Cruickshank, imunologista da Universidade de Manchester, no Reino Unido. Tampouco é algo que você desejaria, mesmo que fosse uma possibilidade: quando as pessoas desenvolvem formas graves de COVID-19, muitos especialistas acreditam que é porque o sistema imunológico está entrando em espiral e sobrecarregando o corpo.

Nós precisamos apenas do básico do nosso mecanismo imunológico funcionando normalmente. As pessoas devem se esforçar para ter uma base saudável, diz Lisa Gralinksi, virologista que estuda o coronavirus na Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill. "Se infelizmente, eles forem infectados, estarão na melhor situação possível para combater essa infecção e permanecer saudáveis", diz ela. Felizmente, existem algumas maneiras sólidas e apoiadas pela ciência de fazer isso.

Movimente-se

O primeiro item da lista não surpreenderá você: exercício. Os estudos concordam fortemente que pessoas que se exercitam regularmente têm menor probabilidade de desenvolver resfriados e gripes sazonais, explica David Nieman, fisiologista do exercício no Human Performance Laboratory da Appalachian State University. Por exemplo, em um estudo de 2011, Nieman e seus colegas acompanharam mais de 1.000 adultos durante o outono e o inverno e monitoraram se pegavam um resfriado e quantos dias ficavam doentes. Eles descobriram que aqueles que eram mais ativos fisicamente, fazendo pelo menos 20 minutos de caminhada, ciclismo ou outros exercícios cinco ou mais vezes por semana, relataram 43% menos dias de doença do que aqueles com estilos de vida amplamente sedentários.

As contrações musculares aumentam o fluxo sanguíneo e elevam a temperatura do corpo, o que, acredita-se, mobiliza células imunes geralmente escondidas em nossos baços ou tecidos linfáticos. O grupo de células imunes que surgem durante e após breves sessões de exercício, que incluem neutrófilos e células destruidoras naturais, serve como nossa defesa na linha de frente contra vírus invasores.

É um efeito transitório, portanto, o exercício regular é importante. Para pessoas que vivem em locais de quarentena, existem muitas opções de exercícios em casa.

No entanto, cuidado com o exagero. Após cerca de uma hora de exercícios de alta intensidade, o corpo começa a sofrer com o estresse, o que pode prejudicar a função imunológica. Atletas de elite de várias modalidades podem ser particularmente suscetíveis a adoecer, por isso não se esforce demais. E, obviamente, para aqueles que já estão doentes, é hora de descansar, não de se exercitar, acrescenta Nieman.

Coma alimentos integrais

O segundo passo para um sistema imunológico feliz é ter uma dieta saudável e equilibrada, com muitos legumes e frutas frescas. Como suas idas ao supermercado podem estar poucas e distantes, é aconselhável comprar frutas e vegetais congelados e itens mais duráveis, como maçãs, laranjas e verduras resistentes, em quantidade suficiente até o próximo passeio.

A ênfase aqui está no equilíbrio, explica Cruickshank. Os imunologistas não conhecem nenhum alimento que faça a mágica. Uma dieta diversificada não só fornece as vitaminas e minerais que as células imunológicas precisam para funcionar normalmente, como também é boa para as bactérias que vivem no intestino, que desempenham um papel importante para manter o sistema imunológico funcionando adequadamente, acrescenta ela. Esforce-se também para não beber demais. O álcool está associado a mau funcionamento do sistema imunológico.

Há poucas evidências conclusivas de que suplementos nutricionais como vitaminas, ferro ou zinco melhorem substancialmente a função imunológica. Uma análise recente de 25 estudos clínicos sobre vitamina D, que incluiu mais de 10.000 pacientes, mostrou que a vitamina tem um efeito modesto na proteção contra resfriados. Mas houve muita variação entre os estudos: alguns não mostraram efeito algum, explica Adrian Martineau, imunologista da Queen Mary University de Londres. Só pode ser útil suplementar se você estiver com deficiência da vitamina.

De um modo geral, se você estiver recebendo vitaminas suficientes de sua dieta, é improvável que os suplementos ajudem muito, diz Nieman. Em pesquisas anteriores, ele e seus colegas tentaram dar grandes doses de suplementos de vitamina C e vitamina E a atletas de elite. Nenhuma das duas produziu grandes melhoras na função imunológica. "O corpo não funciona assim", explica ele. "Eu diria às pessoas que tomem muito cuidado com qualquer pílula ou cápsula que contenha algo que supostamente irá impulsionar magicamente o sistema imunológico para fazer seu trabalho melhor".

Dê uma pausa ao seu cérebro

Ter a quantidade de sono suficiente também pode ajudar. Em pesquisa do professor da Universidade Carnegie Mellon, Sheldon Cohen e outros, pessoas que dormiam menos de sete horas por noite eram mais propensas a desenvolver um resfriado quando os pesquisadores os expuseram a um vírus causador de resfriado, um achado confirmado por alguns outros estudos.

Gerenciar o estresse também pode ser importante. Outro estudo de Cohen mostrou que aqueles que relataram mais estresse em suas vidas eram mais propensos a desenvolver sintomas de resfriado. Uma razão para esse efeito é que o hormônio do estresse cortisol pode suprimir certas partes do sistema imunológico, diz Cruickshank. Ela recomenda práticas simples, como passar um tempo na natureza (se possível) e apreciar pequenas coisas.

Muitos desses hábitos são compreensivelmente difíceis de manter em meio a uma pandemia. Ainda não sabemos muito sobre esse vírus e os estudos observados neste artigo se concentraram amplamente em patógenos menos prejudiciais, mas essas são as práticas recomendadas para ajudar a manter a função imunológica saudável. No entanto, muitos profissionais de saúde concordam que seguir conselhos sensatos para manter nosso sistema imunológico saudável, tais como praticar exercícios moderados, ter uma dieta equilibrada e evitar o estresse, é provavelmente a nossa melhor aposta. E isso não substitui aquilo que pode ajudar a impedir a disseminação do COVID-19: lavar as mãos, ficar em casa e seguir os últimos conselhos oficiais.
Traduzido do site OutsideOnline.com

Fonte: OutSideOnLine.com (traduzido por CoelhoDePrograma)

Leia mais sobre: coronavirus, sono

Assine a NewsLetter do CoelhoDePrograma e não perca mais nenhum artigo!

Gostou da matéria? Comente logo abaixo! mrgreen

Copyright - Marcelo Coelho