Coelho Dizeres Computador
[X] Fechar

Já conhece a NewsLetter do CoelhoDePrograma? Clique aqui e assine!

Só demora 30 segundos para se cadastrar e você recebe nossas notícias por email!

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Como a biomecânica afeta a sua corrida?
Compartilhe no WhatsApp Enviar por email Compartilhe no Twitter

quinta-feira, 26 de abril de 2018 - 10:52
running strideVocê começa a praticar a corrida. Em pouco tempo, seus tempos vão melhorando ou você completa a mesma distância já sem precisar de um desfibrilador ao final.

Logo, logo, você começa a pensar em meios de melhorar, seja aumentando as distâncias ou baixando ainda mais seus tempos naquelas que você já domina.

Uma das coisas de que quem já passou por essa fase certamente já ouviu falar é em melhorar sua forma de correr. Se você já ouviu, as perguntas que provavelmente passaram pela sua cabeça foram:
  1. Em que isso afeta minha corrida?

  2. Como posso melhorar essa forma de correr?
Pois bem, a matéria que traduzi hoje, do excelente site Competitor.com, fala sobre isso e dá algumas dicas que podem ser úteis.

Então, sem mais delongas, bora dar aquela lidinha básica? mrgreen
Talvez a aterrissagem do seu pé não seja perfeita, sua passada um pouco longa e sua extensão de quadril mais fraca do que você preferiria - mas o quanto isso realmente afeta sua corrida? Você simplesmente não é um corredor talentoso ou não foi criado para o esporte de alta resistência, certo? Bem, de acordo com especialistas, há mais para a boa corrida do que apenas forma de correr e genes. Você pode precisar trabalhar sua biomecânica se quiser melhorar e aperfeiçoar sua atividade.

Muitos corredores trabalham para alcançar uma forma melhor de correr, mas hoje em dia os treinadores de biomecânica estão buscando evitar a mentalidade perfeccionista dos atletas. "Não há uma maneira perfeita de correr, mas há uma maneira de desenvolver habilidades de corrida mais eficientes, e a forma ideal de correr será diferente para cada corredor", diz a treinadora de biomecânica Elizabeth Maiuolo.

James Dunne, terapeuta de reabilitação esportiva e treinador de corrida do Kinetic Revolution, diz que "a biomecânica é uma habilidade que deve estar sempre em desenvolvimento". A biomecânica, no entanto, pode parecer complexa à primeira vista. Na corrida, é frequentemente descrita como duas fases principais que compõem um ciclo de marcha.

O ciclo da marcha

Quando se trata do ciclo da marcha, a fase de apoio é quando os pés estão em contato com o solo. A fase de balanço é quando o pé está fora do chão e se move para entrar em posição para a próxima fase de apoio, e entre desses dois está o que os pesquisadores chamam de subfases.

Na fase de apoio, a frenagem ocorre quando um pé entra em contato com o solo e o joelho e o tornozelo se flexionam para absorver o impacto. A postura mediana é quando a perna está diretamente embaixo dos quadris. Em seguida, a saída do calcanhar ocorre quando este está prestes a levantar do chão, o joelho está esticado e se prepara para flexionar, e o quadril está em hiperextensão.

Finalmente, a propulsão é a energia absorvida que o impulsiona para frente, que leva à fase de balanço. Nesse ponto, o calcanhar começa a se erguer, os quadris se estendem e o joelho passa abaixo dos quadris até que a perna caia para novo contato e se reinicie o ciclo.

"Não importa como você corra, o objetivo geral é colocar o pé no chão de forma que toda a cadeia cinética (do seu pé e perna) possa absorver com sucesso o impacto e se adaptar a qualquer terreno irregular e então fazer a transição com sucesso para uma posição em que possa estabilizar e se impulsionar para frente", diz Janet Hamilton, fisiologista do exercício e técnica de corrida do site RunningStrong.com.

A forma perfeita de correr

Entre os corredores, há os aspectos básicos da boa forma de correr: corra alto, mantenha a passada curta e relaxe os ombros. Os treinadores dizem que esses são bons objetivos para os corredores porque reduzem o risco de lesões, mas o padrão de marcha mais eficiente pode não ser o que o corredor quicando ao seu lado na linha de partida adota.

Em vez de analisar criticamente cada flexão, extensão e pouso, os técnicos em biomecânica sugerem otimizar seu movimento específico.

"Só porque um corredor na frente do pelotão tem um padrão de corrida em que seu ponto de contato inicial com o solo é no meio do pé, isso não significa que todos os corredores devem ter o mesmo padrão. Essa técnica funcionou bem para aquele corredor, com suas características únicas de alinhamento e força do esqueleto, correndo nesse ritmo acelerado. Pode não funcionar bem para todos", diz Hamilton.

Melhorando sua eficiência de corrida

Se você está procurando melhorar sua biomecânica, Hamilton diz que aquilo em cada corredor precisa mirar depende do atleta individualmente. Entretanto, na maioria dos casos ela sugere trabalhar no fortalecimento do core, fortalecendo os quadris e melhorando a amplitude de movimento.

"Um método que uso para melhorar a força específica em corredores é incluir corrida em montanha e em trilha. As trilhas por natureza são irregulares e frequentemente têm ondulações e curvas, por isso exigem do atleta que mantenha os olhos abertos, os passos leves e a passada curta", diz ela.

Os corredores também podem tentar dar passadas largas com as pernas já cansadas, como depois de uma corrida longa. "Trabalhe a boa postura à exaustão. Afaste o cotovelo e mantenha o peito aberto. Alongar a passada é realmente eficaz para melhorar a forma de correr sob fadiga", diz Dunne.

Para uma análise detalhada de sua eficiência de corrida, há vários gadgets disponíveis para compra junto com aplicativos de smartphone que permitem aos usuários assistir a uma captura em câmera lenta da sua corrida. Confira o Lumo Run (US $ 98 [N.T: aproximadamente 400 reais]), um sensor de corrida com aplicativo gratuito (somente para iOS) para rastrear, analisar e melhorar sua biomecânica. Ou faça o download do Coaches Eye (US $ 4,99 [N.T: aproximadamente 18 reais]), que pode capturar imagens transmitidas sem fio de seus outros dispositivos (iPhone, iPad, GoPro, etc.) para que você tenha uma visão de 360 graus da sua técnica de corrida.

A maioria dos corredores, no entanto, não verá mudanças antes de semanas de treinamento. "Todo corredor tem que encontrar ou desenvolver um sistema particular e mais eficiente. A maneira mais eficiente de melhorar a forma de corrida é fazer dessas novas habilidades parte do seu movimento natural", afirma Maiuolo.
E então, gostaram? Abraços e beijos a todos e até a próxima! mrgreen

Fonte: Competitor.com (adaptado por Coelho de Programa)

Leia mais sobre: biomecânica, corrida

Assine a NewsLetter do CoelhoDePrograma e não perca mais nenhum artigo!

Gostou da matéria? Comente logo abaixo! mrgreen

Copyright - Marcelo Coelho